fbpx

Qual a diferença de E-commerce e Marketplace? Entenda qual modelo é o melhor para sua operação.

O Marketplace e e-commerce são duas plataformas online de vendas que crescem cada vez mais durante os últimos anos. Em 2021, os marketplaces ocupam uma faixa de 78% do comércio eletrônico destinado a consumidores, ou seja, no modelo B2C. 

Leia também: Tipos de E-commerce, em qual o seu se enquadra?

Esses dados nos mostram, que os marketplaces têm um papel importante nas vendas na internet e suas marcas de grandes players do mercado ajudam os clientes a se sentirem mais confortáveis com as compras online.

Por isso, é cada vez mais comuns os gestores de e-commerce ampliarem seus canais de vendas para os marketplaces, em busca de maior tráfego de clientes e oportunidades de vendas.

Então, caso você esteja interessado em expandir seu e-commerce para os marketplaces, neste post te explicaremos o que é um marketplace, as principais diferenças para um e-commerce e os principais do mercado.

 O que é um Marketplace e seus principais benefícios?

O Marketplace é como se fosse um grande shopping, só que virtual. É uma plataforma que reúne vendedores e prestadores de serviços em apenas um único ambiente, assim, os lojistas já têm um público para seus produtos e os clientes várias opções para comprar.

Sendo assim, o Marketplace é muito útil para os lojistas apresentarem os seus produtos em uma loja já popular no mercado.

Imagine, por exemplo, que você vende roupas de fabricação própria, mas não ainda não está nos marketplaces. Para quem está começando no e-commerce, é um pouco mais difícil se inserir no mercado digital e conquistar a confiança do público e garantir suas vendas sem bons parceiros que entendam de marketing e gestão de e-commerce.

Então, nesse contexto, o marketplace pode ser uma ótima opção, pois você poderá vender em lojas que já têm a confiança dos consumidores e um grande público em busca dos produtos, como a Americanas.

Para os consumidores, o ponto positivo é encontrar uma maior gama de produtos, além de melhores ofertas, devido a competição entre os lojistas. Sendo assim, esse modelo de negócio oferece vantagens para ambos os lados.

Uma outra vantagem em vender em marketplaces é relacionado à logística, já que após realizar a venda, o vendedor tem acesso fácil à etiqueta de envio, nota fiscal com dados do cliente e descrição do pedido direto na plataforma, sem precisar fazer manualmente esse processo.

Por essas e muitas outras razões , os marketplace é um modelo de negócio que tem gerado grandes impactos no comércio online. Afinal, tanto para os clientes quanto para os lojistas, ficou muito mais fácil e prático vender ou comprar.

Como funciona um Marketplace?

De forma simples, basta que você faça seu cadastro nos marketplaces que deseja vender. Para isso, é necessário ter um CNPJ para a emissão das notas fiscais ao realizar suas vendas.

Caso você já tenha um e-commerce operante, será necessário escolher quais os produtos têm margem de lucro e estoque suficiente para ir para essas plataformas, de maneira que você consiga lucrar e não tenha problemas com disponibilidade de produtos quando precisar enviar.

Logo após, você deve realizar o cadastro dos produtos selecionados para vender na plataforma. Se seu e-commerce já utiliza um sistema de ERP, será mais fácil realizar a integração de produtos, estoque disponível e preços. Caso você não tenha, será necessário realizar o cadastro individual de cada produto, incluindo fotos, descrição e preço.

Taxas e Comissões

Cada marketplace tem sua política própria de comissões, alguns costuma cobrar uma taxa dos vendedores para cada venda que concluir, outros cobram uma taxa fixa por mês. Além disso, as plataformas também contam com envio personalizado que pode ter taxas para o seller. Por isso, esteja atento a todas as comissões e taxas praticadas para que sua precificação consiga cobri-las e ainda seja capaz de te dar lucro.

Meios de pagamento

Como a venda é toda realizada pelo marketplace, existem vários métodos de pagamentos disponíveis para o cliente. O dinheiro da venda será repassado para sua carteira dentro da plataforma de acordo com as políticas de pagamento de cada marketplace, é importante consultar e conhecer os prazos de repasse.

Atualmente, é possível encontrar diferentes opções de marketplaces no mercado, alguns são amplos e praticamente tudo pode ser vendido lá, como é o caso da B2W, e outros são mais nichados, como por exemplo a Netshoes, que vende apenas artigos esportivos.

Além de avaliar em qual marketplace é mais interessante para seu e-commerce vender, existem outros pontos importantes para se avaliar, tais como:

-O serviço de suporte;

-Comissões e taxas;

-Benefícios que esse canal pode trazer para seu negócio.

 Até agora nós já vimos que os marketplaces tem uma série de peculiaridades, então, vamos conhecer as diferenças entre marketplaces e e-commerce logo abaixo!

Principais diferenças entre Marketplace e e-commerce

Muitas pessoas costumam confundir o Marketplace com o e-commerce, mas vale notar que ambas têm as suas diferenças. Entender quais são essas principais diferenças é essencial para entender o resultado que cada canal pode trazer para você.

Portanto, confira logo abaixo quais são as diferenças entre o Marketplace e e-commerce.

1.Logística

Manter uma loja online requer que o dono saiba como fazer operações logísticas básicas para manter o site, ou seja, é fundamental ter vários contratos de ferramentas tecnológicas, e é necessário ser responsável pela atração de clientes para a loja virtual.

Já no caso do marketplace, o lojista não precisará se preocupar quanto à essas questões. Pois, ele apenas expõe os seus produtos e, a maior parte da manutenção do site é feita pelo administrador da plataforma.

2.Investimento

Para iniciar qualquer tipo de negócio é preciso ter algum investimento inicial, não é mesmo? Sendo assim, essa é uma das primeiras decisões que você deverá tomar, levando em conta o investimento de cada modelo.

No e-commerce, por exemplo, você terá que contratar uma plataforma para hospedar a sua loja, além de realizar outras tarefas ligadas a infraestrutura do seu site, que pode gerar um gasto inicial maior, tais como:

-Certificados de segurança;

-Intermediadoras de pagamento;

-Política de Privacidade;

Por outro lado, no Marketplace você não precisará se preocupar quanto a isso, pois já tem uma empresa encarregada de cuidar dessa infraestrutura. Você deverá apenas ler e aceitar o contrato. Então, você já poderá começar a anunciar os seus produtos no site do marketplace.

Portanto, para criar um e-commerce você terá que investir um valor maior, além de ter mais responsabilidades, ao passo que no Marketplace a própria empresa cuida desses investimentos. Contudo, é de total responsabilidade do lojista o estoque dos produtos, embalagens para envio e custo de pessoal.

3. Marketing e alcance de clientes

Qual a melhor forma de fazer com que as pessoas conheçam a sua marca, a não ser com o marketing digital? Para que seu próprio e-commerce seja conhecido e alcance um público maior de acordo com seu cliente ideal, é preciso investir em marketing digital, seja no tráfego orgânico ou no tráfego pago, ou então acabará sendo esquecida.

Essa é uma das maiores diferenças entre o marketplace e e-commerce, pois no e-commerce você é responsável por fazer o marketing da sua loja. Então, você decide o quanto quer investir, a forma como prefere e, como resultado, ganha mais visibilidade.

Porém, no Marketplace, essa etapa do marketing digital não é de sua responsabilidade. Existirão alguns critérios dentro da plataforma que mostrarão seu produto na frente de outros, como por exemplo, a sua reputação.

Além disso, o marketplace fará propagando sobre a marca dele, atraindo mais clientes no geral. Dessa forma, muitos clientes compram em Marketplace sem ter consciência de que o produto pertence a sua marca.
Em outras palavras, você não precisa gastar com marketing digital, mas em contrapartida, a sua marca não ganha visibilidade como ganharia na sua própria operação.

Então, é sempre importante que ao enviar os produtos você envie cartões e cupons que identifiquem a sua marca e levem esses clientes para seu site próprio ou redes sociais. Utilizando o marketplace como uma forma de aquisição de clientes.

4. Pagamentos

Não há dúvidas de que as opções de pagamento continuam evoluindo, ainda mais na internet para facilitar para os clientes, onde é possível pagar compras com:

-Débito automático;

-Cartão de crédito e débito;

-Boleto bancário;

-Intermediários de pagamentos;

-Carteiras digitais;

-Pix;

Transferências.

Caso você tenha uma loja online e queira implementar todas as opções de pagamento, terá um custo maior. Já no Marketplace, por outro lado, você não terá custos adicionais com as formas de pagamentos.

No Marketplace você deverá achar apenas uma taxa administrativa para a empresa. Logo, é uma preocupação e custo a menos para você, além de oferecer opções mais flexíveis de pagamento para os clientes.

5.Segurança

A segurança também é outro diferencial entre o marketplace e e-commerce. Quem tem uma loja online, precisará cuidar dessa questão, contratar serviços de segurança para manter os dados dos clientes bem protegidos.

Enquanto isso, no Marketplace essa é uma preocupação da própria empresa que administra a plataforma. Sendo assim, caso ocorra qualquer tipo de problema, é a própria empresa que terá que lidar com a situação.

Por isso que a maioria dessas empresas investem muito em segurança, para garantir que todos os dados fiquem em segurança.

6.Concorrência

Tanto o Marketplace quanto o e-commerce precisam lidar com os concorrentes do mercado, embora seja de maneiras diferentes. De forma básica, as lojas online são focadas em apenas um nicho do mercado.

Então, elas competem apenas com outras lojas do mesmo nicho. Por exemplo, se você trabalha no setor de moda, então deverá ficar atento em relação às outras lojas que atuam nesse mesmo setor.

Apesar de ter uma competição, ela é mais controlada e, uma vez que tenha ganhado reconhecimento, a loja online terá clientes fiéis. Assim, é possível manter uma relação mais próxima com os clientes, nutrir leads e estimular que comprem mais.

Ao contrário do Marketplace. Isso porque, o Marketplace precisa lidar com todos os outros setores, até mesmo com os e-commerces, ou seja, a concorrência fica bem acirrada e e não tem como evitar que seu produto seja comparado com o do concorrente. E isso pode levar a uma batalha por preços menores que pode sacrificar o lucro da sua operação.

Desvantagens dos Marketplaces

Apesar de ter muitas vantagens e ser um ótimo modelo de negócio virtual, o Marketplace também conta com algumas desvantagens.

1.Dependência da plataforma

Um ponto negativo é a dependência gerada entre as empresas que estão nesse modelo de negócio. Isso porque há vários cenários onde o lojista pode sair prejudicado.

Como por exemplo, se o dono do Marketplace decidir encerrar as suas atividades, todas as lojas cadastradas na plataforma irão perder o canal de vendas. Além disso, é possível citar outras situações desagradáveis, tais como:

-Mudança de regras;

-Aumento de taxas;

-Porcentagens sobre suas vendas;

-Entre vários outros.

Dessa forma, uma ótima ideia é manter também sua loja virtual, caso o Marketplace onde você atue venha a fechar ou mudar as suas regras. Dessa forma, você não perderá vendas e nem produtos.

2.Concorrência

A maior concorrência é também uma das grandes desvantagens em relação ao Marketplace. Tendo em vista que você terá a sua loja em um local onde há muitas outras lojas que também vendem produtos semelhantes.

Dessa forma, sua loja não será única e exclusiva, e os seus produtos irão aparecer na mesma categoria em que outros vendedores também estão. Isso quer dizer que há um certo grau de competição nesse espaço, ainda mais com a popularidade dessas plataformas.

Então você abaixa o preço para sobressair da concorrência, mas fique atento quanto à margem de lucro, se você vende os seus produtos com uma margem de lucro pequena, é bom ficar atento. Pois, a comissão cobrada pela plataforma não pode ter um índice que prejudique o seu faturamento, ou seja, não adianta nada abaixar mais o preço dos seus produtos, se não obtiver uma boa porcentagem de lucro.

3.Dificuldade em estabelecer a personalidade da marca

É bem provável que você já tenha passado por uma situação em que perguntou para alguém onde ela comprou tal relógio e ela apenas respondeu “comprei na Americanas”. No entanto, a Americanas serviu apenas como uma intermediária, pois o relógio pertence a outra empresa.

Ou seja, mesmo que o nome de sua loja esteja presente no marketplace, na maioria das vezes o cliente apenas lembrará da plataforma que comprou. Sendo assim, estabelecer a personalidade da sua marca torna-se um pouco mais difícil.

Isso porque você não trabalhará a presença e diferencias da sua marca, do modo como faria no seu próprio e-commerce, por exemplo.

10 Maiores Marketplaces do mercado 2021

Se você deseja investir em uma plataforma de Marketplace para vender os seus produtos, então saiba que há uma gama de opções para você. Em primeiro lugar, é preciso saber quais são os Marketplaces que têm um melhor desempenho.

A partir dessa informação, é possível que você tenha uma decisão mais assertiva. Para ajudá-lo a escolher a melhor plataforma de Marketplace para começar a vender os seus produtos, confira logo abaixo uma lista com os melhores do Brasil em 2021:

-Mercado Livre;

-Amazon;

-Magazine Luiza (Magalu);

-Via Varejo

-Casas Bahia,

-Extra,

-Loja HP 

-Ponto Frio;

-B2W:

-Submarino

-Shoptime

-Americanas;

-Global Fashion Group:

-Dafiti

-Tricae

-Kanui;

-Centauro;

-Madeira Madeira;

-OLX;

-Elo7.

Então, qual escolher? Marketplace ou E-commerce?

Mas, afinal, qual é melhor para vender, Marketplace ou E-commerce?
Bem, essa pergunta tão tem resposta certa pois você pode utilizar apenas um dos canais como pode também, utilizar os dois de maneira estratégica e lucrativa.

O e-commerce é um espaço completamente independente, onde você cria e anuncia todos os seus produtos. Trata-se de um canal de vendas direto, onde você pode manter contato com o seu público, desenvolver relacionamento e evoluir sua marca.

Embora tenha mais custos e preocupações operacionais, é uma maneira de ter seu próprio espaço no digital e começar a aproveitar as suas oportunidades.

Enquanto isso, no Marketplace, você terá menos custos e um pouco menos de trabalho, mas sua marca não será tão reconhecida.

Por isso que a escolha deve ser feita a partir da análise do seu tipo de negócio, sua escalabilidade e sua persona. Além disso, avalie todos os custos e quais são os prós e contras de cada modelo de vendas.

Vale lembrar que não existe uma opção certa, apenas a mais adequada de acordo com o que você precisa, já que tanto o marketplace quanto o e-commerce são modelos populares no mercado online e com cada vez mais adeptos. Para empresas bem gerenciadas, ambos são relevantes e lucrativos.

Então, caso sua operação esteja preparada para tal, você pode até mesmo manter os dois modelos de negócio para obter mais lucro para seu negócio de maneira estratégica.

Por fim, esse conteúdo foi útil para você? Ainda ficou com alguma dúvida? Aproveite para deixar o seu comentário!

Confira também

Quer receber mais conteúdos como esse de graça?

Inscreva-se para receber nossos conteúdos por e-mail e fique por dentro de todas as novidades do mundo do e-commerce!

Ge-commerce - Todos os direitos reservados